COMO CONSTRUIR UMA MARCA FORTE e gerenciá-la [versão completa]

Uma marca é o ativo mais importante de uma empresa.

Já conversamos sobre o que é uma marca e porque ela é o ativo mais importante aqui.

Agora vamos aos 9 pilares ou passos essenciais para torná-la ainda mais forte e saber como gerenciá-la corretamente!

1) CENÁRIO DA MARCA

O primeiro pilar é entender seus concorrentes, qual o diferencial entre eles, como eles se comunicam e como fazem o que fazem. Converse também com quem serão os seus fornecedores para saber prazos, valores, serviços e todos os detalhes, mas principalmente você deve conhecer os seus clientes.

Entenda como eles se comunicam, qual o nível de interação, como se parecem, do que mais falam, e tudo, tudo mais que você puder descobrir. Se você possui um site na Internet com o Google Analytics instalado, por exemplo, você pode buscar algumas dessas informações. Agora, se você não possui negócio ainda, coloque todas as informações do público com o qual você gostaria de trabalhar.

Qual faixa etária?

Quais gêneros?

Que formação acadêmica?

Onde mora?

Quanto ganha?

Possui religião?

Qual profissão?

O que mais você “sabe” a respeito desta pessoa?

Estou falando bem sério, quanto mais você souber com quem está falando, mais estas pessoas virão até você!

Faça também uma pesquisa analisando o discurso dos concorrentes e o contato com seu público. Aqui valem todos os pontos de contato que você puder encontrar, qualquer interação entre os concorrentes e seus clientes, onde eles se diferenciam? Como é o seu modo de fazer e como se destacam?

Saber tudo sobre o que seus concorrentes estão falando, como estão se posicionando no mercado, é tão importante quanto saber seus preços e formas de trabalho!

Bora pesquisar?

2) CARACTERÍSTICAS REAIS

Hoje falaremos sobre a característica real da sua empresa, sua empresa deve saber muito bem quem ela é, apenas se entendendo bem ela será capaz de conversar com seus clientes e com o mercado de forma coerente e verdadeira.

Quando eu digo se conhecer, digo que as pessoas que trabalham nesta empresa devem saber expor esta marca, ter a ideia semelhante, concordar com o mundo desta marca, afinal são estas pessoas que darão vida à empresa e que se comunicarão com os clientes.

Deve também saber quais são as reais qualidades desta empresa, quais são seus propósitos e qual é sua missão.

Todo o discurso de sua marca deve ser coerente com o modo que sua empresa trabalha.

Por exemplo, você não pode prometer originalidade se este não for seu diferencial.

Tendo tudo muito claro, sabendo exatamente o que te diferencia, o que pretende e vai fazer, você saberá o que de fato entregará aos seus clientes, tendo assim clientes-amigos que voltarão sempre que precisar o que você faz ou vende!

3) POSICIONAMENTO

Agora é a hora de juntar toda as informações que você coletou, tanto dos seus clientes e empresas como de quem você e sua empresa são, juntar, analisar e então definir seu posicionamento.

Você pode escolher se posicionar de forma parecida com algum concorrente, mas com alguns diferenciais, pode achar um novo modo de se posicionar, ou pode ter um totalmente novo, mas só você vai saber o que é melhor para você!

Observe os dados coletados, você já entende o seu público e sabe quem você é, agora é hora de desenhar o cenário ideal à sua empresa, aquele que vai te deixar feliz todo dia para agir e aquele que só você sabe fazer, afinal você é único e sua empresa também!

Lembre-se que estamos falando de marca, discurso. Portanto, tente analisar o que e como as outras marcas estão falando, ao invés de apenas utilizar dados numéricos, mas encontre o seu modo de se expressar, de nada adianta copiar um modo que uma empresa faz se este não é natural para você, porque assim você corre um sério perigo de parecer apenas um plágio, acredite na sua voz e no seu modo de agir, ele é único e será perfeito.

Como produto final desta etapa, você pode elaborar um texto (ou um mapa mental) explicando como sua empresa irá se posicionar frente ao mercado, e sorria você vai amar colocar esta empresa, deste jeitinho para funcionar!

4) PLATAFORMA

Depois de traçado o posicionamento da sua marca perante o mercado e o consumidor, defina quais são os valores mais importantes para sua empresa.

Uma dica é selecionar quatro palavras.

Resumindo o posicionamento de sua empresa a poucas palavras, você conseguirá focar no que é realmente importante de ser falado. A não ser que você gaste milhões de reais em publicidade, você não terá muito tempo de seu público para explicar sobre sua marca.

Definir uma base de discurso e falar através de todos os seus veículos com coerência fortifica e identifica sua marca. Estas palavras serão os pilares que manterão sua marca coerente, e em breve, facilmente identificável por seu cliente.

5) PROPÓSITO

É a razão principal da sua marca existir. Responda para você mesmo em voz alta: Porque a minha marca existe ou deve existir? Esta é a promessa de valor que você dará aos seus clientes, esta é a bandeira pela qual a sua marca vai mostrar durante toda vida.

Se a sua marca tivesse que se explicar à alguém em apenas uma frase, qual frase ela diria? A Nike diria: “Just Do It”. Sua propaganda diz isso, todos os itens que ela vende diz isso, o modo como ela trabalha mostra isso!

A esta frase damos o nome de tagline. Diferente de um slogan que é mais temporal e comercial, a tagline deve acompanhar sua marca enquanto manter seu posicionamento.

Mostre seu propósito e carregue em uma frase. Mostre com orgulho e coloque em seu discurso sempre que possível.

6) DESIGN

Definido todo o propósito da sua marca, fica mais fácil criar sua representação gráfica (também chamada de marca, logo ou logotipo) e fazer com que fique encaixada com às suas promessas.

Este pilar e os três próximos são a minha maior especialidade, se precisar contratar aguém pra isso, fica a dica de ver meu site, rs ;) Mas vamos entender como é feita esta etapa, para iniciar a criação do logo é importante fazer uma boa pesquisa de referência lincando elementos que trazem os aspectos levantados nas etapas anteriores. Se nos resultados anteriores apareceu que sua empresa deve focar na originalidade (por exemplo), busque elementos que trazem esta característica. Busque marcas que falam deste aspecto, publicidades, filmes, pinturas, movimentos artísticos, etc. O mesmo vale para a escolha da tipografia, que deve apresentar elementos que reiteram o conceito.

Após feita a pesquisa, podemos começar a desenhar alternativas. Caso sua empresa já tenha um nome, é claro, se não tiver confira nosso guia para decidir o nome perfeito! Dedique um bom tempo para isso, normalmente as primeiras alternativas são muito óbvias, e você encontrará muitas empresas com os mesmos símbolos que você desenhou. Sua escolha deve levar em consideração alguns aspectos:

#1 – pregnância

#2 – elementos do conceito

#3 – sistema de identidade

#4 – pertencer ao nicho de atuação

#5 – se destacar no nicho de atuação

#6 – simplicidade

#7 – originalidade

#8 – “beleza”

Dependendo de seu ramo de atividade, cada ponto tem um peso maior ou menor.

7) UNIVERSO

O Universo de Marca é constituído por vários canais, onde as diretrizes verbais e visuais da sua marca são responsáveis por traduzir conceitos e valores em textos e imagens. Ou seja, elas seguem todos os 6 pilares anteriores, sempre tendo a preocupação de criar um sistema integrado e homogêneo de identidade visual e verbal.

O logo representa apenas uma parcela de um sistema complexo. Ele é um dos vários canais de expressão da marca e, portanto, não deve ter o compromisso de comunicar tooodo seu conceitual – caso contrário, pode incorrer em diversos problemas formais, como o sobrecarregamento do logo e falta de pregnância, ou problemas técnicos de redução e de versões de marca gráfica, ele é um botão que liga toda a sua marca e não o mapa que explica todo o seu conceito, entende?

Todas as regras do mundo da sua marca serão usados na composição de seus pontos de contato, vistos a seguir.

8) PONTOS

Uma marca é composta por todas as ações e materiais que levam sua assinatura. Desde o atendimento telefônico ao produto entregue, passando pelo cartão de visitas, site, discurso em redes sociais, todos são pontos onde uma marca encontra seu cliente e conversa com ele. A utilização das regras que acabamos de falar é que nortiaram o universo da sua marca, tanto em textos quanto em imagens, garantindo uma marca coerente, que através de qualquer plataforma estará sempre comunicando seu propósito.

Os pontos de contato são a materialização de tudo o que foi pensado até agora. São as principais plataformas de comunicação direta com o cliente. Seu cartão de visita, catálogo, site, redes sociais, blog e outros possíveis materiais deverão ser pensados de acordo com o seu propósito de marca. Criando valor de forma inteligente e reduzindo custos.

Mesmo que você não vá produzir todos os materiais em um primeiro momento, ou no lançamento de sua marca, pense em uma estrutura de comunicação para estes materiais. Se possível, faça o projeto gráfico de todos e coloque em um cronograma quando cada material precisa ficar pronto juntamente com as necessidades da sua empresa.

9) ENGAJAMENTO

Como toda marca é um organismo vivo que conversa e se constrói na relação com seu cliente, uma marca não pode estar de fora das redes sociais. Também se utilizando das diretrizes textuais e gráficas, a comunicação através das redes sociais deve ser clara e coerente.

O planejamento de ações periódicas mantêm a marca viva e lembrada; ter coerência entre estas ações garante a comunicação do propósito.

Tenha ações planejadas a médio prazo, assim você não precisará pensar sempre que for fazer uma postagem em uma rede social, mesmo que tenha uma pessoa que cuide diariamente disso. E confira sempre se em suas redes sociais está existindo uma interação rápida, verdadeira e coerente com seus clientes!

Utilize as rede sociais de acordo com o propósito delas: se relacionar socialmente! Não fique apenas colocando propagandas e mais propagandas de seus produtos (ninguém se relaciona com panfletos, certo?). Faça com que sua marca seja uma “pessoa” na rede social. Converse, relacione-se, curta, comente, participe, etc. (sempre de acordo com seu propósito, lembre da linguagem, valores e tudo que discutimos até agora!).

Assim seus clientes se tornarão amigos de sua marca e você deles! E com esta troca verdadeira eles sempre voltarão e te apresentarão novos amigos!

Boa sorte nesta jornada e para o que precisar, conte comigo!

Sarah Stehling

Fonte: Bradda


Destaques

Posts Recentes